Terapias alternativas: o que são e quais os benefícios

As terapias alternativas são recursos que buscam complementar tratamentos medicamentosos a fim de prevenir e curar doenças.

Elas também são chamadas de Práticas Integrativas e Complementares em Saúde (PICS) e visam ter uma escuta acolhedora e a união entre o ser humano e o ambiente no qual ele está inserido.

Algumas dessas práticas foram institucionalizadas e são ofertadas pelo SUS, tais como a acupuntura, fitoterapia, musicoterapia e a quiropraxia. Ao todo, 29 fazem parte da Política Nacional de Práticas Integrativas Complementares em Saúde, a PNPICS.

Para entender mais sobre o assunto, fique neste post e aprenda com a Freebrands!

O que são as terapias alternativas?

Terapia alternativa, como o próprio nome diz, é qualquer tratamento que não se enquadra nas práticas da medicina tradicional contemporânea. Algumas delas podem ter mais embasamento científico, como a fitoterapia, enquanto outras não.

É importante ter em mente que o uso de práticas alternativas na medicina servem para complementar outros tratamentos que já são feitos. Muitas delas existem há muito tempo e, por isso, são reconhecidas como a tradição de um país ou de uma etnia.

Muitos conhecimentos da terapia são passados através das gerações.

No caso do Brasil, por exemplo, cada região tem plantas medicinais que os benefícios foram ensinados pelas avós e têm origem nas práticas dos indígenas que habitavam boa parte do país.

Por isso, muitas pessoas têm plantas na farmacinha do bebê.

Apesar de não serem reconhecidas por boa parte da comunidade médica, as práticas alternativas podem ser usadas para complementar os tratamentos tradicionais.

Lembre-se sempre de consultar o seu médico sobre a possibilidade de realizar esse tipo de terapia.

Quais os benefícios das terapias alternativas?

O principal benefício das terapias alternativas é atuar como complemento do tratamento médico comum. Diferentemente dos métodos tradicionais, muitas práticas integrativas visam unir o ser humano com o ambiente.

Então, muitas terapias não tradicionais atuam, também, em questões emocionais e psicológicas, as quais podem estar ligadas à doenças físicas e psíquicas.

Contudo, lembre-se de uma dica mágica: não existe tratamento milagroso! Conte sempre com o apoio e conhecimento do seu médico ou psicólogo.

Em alguns casos, a prática alternativa pode ser aplicada apenas com a mudança de hábitos diários, como acontece com a meditação e com o poder do sorriso.

Quando recorrer às terapias alternativas?

É ideal recorrer às terapias alternativas quando se quer complementar os tratamentos tradicionais. Se você já tem o acompanhamento de um profissional da saúde, como um médico, dentista ou psicólogo, lembre-se de comunicar sua vontade a ele.

Algumas práticas alternativas, como as plantas medicinais ou a fitoterapia, podem ter resultados mais rápidos. Por esse motivo, elas podem auxiliar no tratamento de casos isolados como uma intoxicação alimentar.

Além disso, muitas terapias alternativas podem ser aliadas com a sua rotina de autocuidado. Seja por recomendação do psicólogo ou por vontade própria.

Por exemplo, sabe quando você quer desacelerar a correria do dia a dia? Nesses casos, invista em uma sessão de massoterapia ou quiropraxia e volte aqui para me agradecer.

Quais são os tipos de terapia alternativa?

Existem inúmeros tipos de terapia alternativa. Muitas delas são práticas milenares e foram desenvolvidas por povos originários de cada região do mundo. Mas não é por esse motivo que você vai encará-las como se fossem exóticas, hein?!

Atualmente, o SUS oferece 29 práticas integrativas e complementares. Só em 2018, 10 novos tratamentos alternativos foram incluídos nessa lista.

Isso mostra como existem políticas públicas para facilitar o acesso de toda a população a esses tratamentos. Confira os mais famosos:

1. Acupuntura

A acupuntura é uma prática desenvolvida na China há diversos milênios. Ela consiste em estimular pontos específicos do corpo por meio de agulhas na pele.

Ela é indicada no tratamento de dores que podem – ou não – estar relacionadas ao estresse. Por exemplo, a acupuntura tem sido muito usada para aliviar o bruxismo.

2. Fitoterapia

A melhor forma de explicar o que é este tratamento é pensar o seguinte: lembra quando você era criança e sua vó chegava falando para tomar um chá que resolveria? Então, é parecido com isso, mas tem um dedinho de evolução científica aí.

A fitoterapia usa o poder das plantas medicinais em tratamentos industrializados, mas que não têm ativos sintéticos.

Por esse motivo, ela pode ser usada como tratamento de ansiedade, por exemplo.

É importante lembrar que a fitoterapia não tem nada a ver com homeopatia, apesar de sempre serem associadas ou tratadas como “irmãs”. Você vai entender melhor o porquê daqui a pouco neste post.

Quer saber mais sobre este assunto? Então leia nosso post sobre o que é fitoterapia!

3. Meditação

A meditação é uma prática fundamental em uma rotina de autocuidado. Ela é indicada para tratamentos de ansiedade, estresse e até algumas dores.

Seja por uma técnica de mindfulness ou por meio da yoga, você poderá ter mais contato consigo mesmo e, assim, desacelerar e relaxar a tensão que está sobre seu corpo.

Além de tudo, a meditação é uma das terapias alternativas mais baratas e fáceis de começar. Por exemplo, você pode tomar um banho para reduzir a ansiedade quando bem entender!

4. Aromaterapia

Sabe aquele cheirinho que nos acalma? Então, é basicamente assim que a aromaterapia funciona.

Como o próprio nome sugere, essa prática busca tratar por meio de aromas de óleos essenciais. Isso pode ser feito por meio da difusão no ambiente, inalação direta, escalda-pés, em massagens etc.

A prática é muito parecida com os banhos de descarrego de religiões de matriz africana. Interessante, não é mesmo?

Se você quer saber mais sobre esse assunto, não deixe de ler nosso post completo e com tudo que você precisa saber sobre o que é aromaterapia!

5. Cromoterapia

A cromoterapia é a terapia das cores. Ela é ofertada pelo SUS desde 2018. Nessa prática complementar aos tratamentos tradicionais, são usadas cores primárias para auxiliar no tratamento de algumas enfermidades, principalmente na insônia e ansiedade.

Os adeptos dessa técnica acreditam que as cores têm poder de acalmar, por exemplo. Nós temos um post completo sobre este assunto. Depois de conferir toda esta lista, leia o que é cromoterapia.

6. Geoterapia

A Geoterapia é um clássico dos spas há muito tempo. Ela consiste em usar argila quente para diminuir dores musculares e tensões.

Assim como o item anterior desta lista, ela também é ofertada pelo Sistema Único de Saúde e pode ser uma boa saída para quem quer aliviar dores crônicas, por exemplo.

Está gostando dessa lista? Aproveite para ler nosso post sobre o porquê ter plantas dentro de casa!

7. Hipnoterapia

A Hipnoterapia é o tratamento por meio da hipnose clínica, como o próprio nome sugere. Ela busca alterar o padrão da consciência para que o paciente seja induzido ao tratamento.

Diferentemente do senso comum, essa terapia alternativa tem como intuito tratar fobias, dores psicológicas, insônia, estresse, ansiedade etc. Sabe o que é melhor de tudo? Tem hipnoterapia no SUS!

8. Florais de Bach

Os florais de Bach ou simplesmente florais, são compostos extraídos das flores. Essa terapia alternativa pode ser entendida como uma vertente da homeopatia. Seu intuito é tratar o emocional e, assim, combater as possíveis disfunções entre mente e corpo.

Quem opta por esse tipo de tratamento deve usá-lo apenas como complemento da medicina tradicional. Muitas das flores usadas nos florais de Bach são conhecidas por serem uma forma de relaxante muscular natural.

9. Homeopatia

A homeopatia é uma terapia alternativa que tem como base o princípio dos semelhantes. Suas bases acreditam que o paciente deve ter contato com doses diluídas das substâncias que podem causar mal.

Diferentemente da fitoterapia, a homeopatia usa princípios naturais ultra diluídos. Além disso, é importante lembrar que esta técnica é uma daquelas que não têm comprovação científica.

Existem diversas outras formas de tratamentos complementares aos medicamentos comuns. Como você viu nessa lista, algumas delas têm embasamento científico e remetem a povos originários de diferentes etnias, enquanto outras não.

Por esses motivos, é importante não abandonar as práticas tradicionais e sempre ter o acompanhamento de um profissional da saúde!

Lembra da aromaterapia? Então, existem alguns cheiros que ajudam a acalmar e relaxar. Um dos principais e mais conhecidos deles é a lavanda. Veja nosso post e entenda para que serve e como usar esse aroma!

Até a próxima!

Deixe um comentário